Pular para o conteúdo

Marcapasso: Tudo o que você precisa saber

Visão Geral do Conteúdo

Para enriquecer nossa abordagem e mergulhar profundamente no tema, temos a honra de apresentar três renomados especialistas no assunto:

Dr. Antonio Vitor Moraes Junior, especialista em Arritmias Cardíacas e Marcapasso, Presidente do ABEC/DECA, convidado pelo portal medicina.ribeirao.br para discutir excelência em Cardiologia." "Dr. Bruno Rocha Wanderley, expert em Estimulação Cardíaca Eletrônica Implantável e especialista em Clínica Médica, Cardiologia e Arritmologia, colaborador do portal medicina.ribeirao.br para abordar temas cardiológicos." "Dr. Roberto Yano, cardiologista especializado em Marcapasso e influenciador digital com mais de 2 milhões de seguidores, convidado pelo portal medicina.ribeirao.br para compartilhar sua expertise em Cardiologia.

O marcapasso é um dispositivo eletrônico vital com a função de regular os batimentos cardíacos. Ele é de suma importância na medicina, salvando e melhorando a qualidade de vida de milhares de pessoas todos os dias.

A invenção do marcapasso revolucionou como lidamos com uma série de condições cardíacas, permitindo aos pacientes viverem vidas normais e produtivas.

“O marcapasso é um marco no campo da cardiologia, dando um novo ritmo à vida de inúmeros pacientes.”

O que é um Marcapasso?

Marcapasso cardíaco em fundo claro, destacando sua estrutura e design clean

O marcapasso é um pequeno dispositivo eletrônico implantado no corpo para controlar o seu ritmo cardíaco.

Este dispositivo envia sinais elétricos para o coração para regular a velocidade e o ritmo dos batimentos cardíacos. Ele é usado principalmente em pessoas com um ritmo cardíaco que é muito lento, irregular ou que leva a sintomas debilitantes.

O termo “marcapasso” é frequentemente usado para descrever o dispositivo e seus componentes — o gerador de pulso e os eletrodos. O gerador de pulso é a “central de comando” do marcapasso, que também é onde a bateria e o circuito eletrônico que controla o ritmo do coração estão localizados.

Os eletrodos são fios finos metálicos que transportam os impulsos elétricos do gerador para o coração.

Para entender o papel do marcapasso, é útil pensar nele como um pequeno maestro que conduz a orquestra do coração. O maestro, ou marcapasso, garante que todas as partes do coração trabalhem em harmonia para manter um ritmo cardíaco regular.

Funcionamento do Marcapasso

aparelho de marcapasso em imagem limpa, estilo clean, com detalhes da parte superior do dispositivo cardíaco

O funcionamento do marcapasso é sofisticado e, ao mesmo tempo, simples de entender.

A função principal do marcapasso é emitir pequenos impulsos elétricos em volts para estimular o coração a bater quando ele não está batendo adequadamente por conta própria.

O marcapasso monitora continuamente o coração e se ele percebe alguma alteração como batimento muito lento, se está pulando batimentos ou mesmo não bater, ele envia sinais elétricos para corrigir isso. Os impulsos do marcapasso são tão suaves que a maioria dos pacientes não os sente.

Uma analogia útil para entender como o marcapasso funciona é imaginar um guarda de trânsito. Assim como um guarda de trânsito monitora o tráfego e intervém para manter a fluidez dos veículos, o marcapasso monitora o ritmo cardíaco e intervém para manter um ritmo regular.

Se o tráfego está muito lento (batimentos cardíacos lentos), o guarda de trânsito (marcapasso) sinaliza para que ele acelere.

Com a tecnologia de hoje, os marcapassos podem se ajustar ao ritmo da atividade física do paciente, aumentando a frequência cardíaca durante o exercício e diminuindo durante o repouso. Esse recurso, conhecido como “resposta de frequência”, torna o uso do marcapasso mais confortável e eficaz para o paciente.

O marcapasso, então, é mais do que apenas um dispositivo médico. Ele é um salva-vidas que permite que as pessoas com problemas cardíacos possam viver suas vidas mais completas e ativas. E é por isso que é crucial entender o que é e como funciona um marcapasso.

Sintomas e causas para necessidade do dispositivo cardíaco

Os sintomas que podem indicar a necessidade de um marcapasso variam segundo a condição cardíaca do paciente. Alguns dos sintomas mais comuns incluem:

zoom em aparelho de marcapasso em design moderno e mostrando os detalhes, em fundo branco, em imagem clean.

Causas

O sistema elétrico do coração é responsável por coordenar a sequência de contrações que mantém o fluxo sanguíneo ativo e regular no corpo. Quando este sistema falha, várias condições patológicas podem surgir, muitas vezes requerendo a intervenção com um marcapasso. Abaixo, discutiremos em detalhes algumas dessas condições:

Bradicardia: esta condição médica é caracterizada por uma frequência cardíaca muito baixa e contínua, geralmente definida como menos de 50 batimentos por minuto mesmo durante a vigília ou exercícios. A bradicardia pode ser o resultado de danos ao sistema de condução elétrico do coração devido à idade avançada, doenças cardíacas ou medicamentos para o coração. Os sintomas associados podem incluir tonturas, fadiga, falta de ar e, em casos graves, desmaios. O marcapasso, nesse contexto, age como um regulador do ritmo cardíaco, garantindo que o coração mantenha um ritmo adequado e conforme a necessidade.

Bloqueio cardíaco ou bloqueio atrioventricular (AV): Trata-se de uma interrupção no sistema elétrico do coração que ocorre no nó AV ou simplesmente no sistema que comunica os átrios e os ventrículos. Esses bloqueios podem ser parciais ou completos e de vários graus, o que impede que os sinais elétricos atinjam as câmaras cardíacas conhecidas como ventrículos, causando um ritmo cardíaco lento ou irregular. Um marcapasso é usado para restabelecer a correta comunicação elétrica entre as câmaras do coração.

Fibrilação atrial: uma das arritmias cardíacas mais prevalentes com o aumento da idade, caracterizada por batimentos atriais rápidos e descoordenados, resultando em um ritmo cardíaco irregular. Embora o marcapasso sozinho não seja um tratamento para fibrilação atrial, em algumas ocasiões especiais, ele pode ser usado em conjunto com medicamentos ou após procedimentos que visam a controlar a frequência cardíaca.

Essas condições acima representam os principais motivos pelos quais um marcapasso pode ser necessário. No entanto, existem várias outras situações em que a implantação deste dispositivo pode ser recomendada.

Sempre é importante discutir com um profissional médico especializado para entender completamente as necessidades individuais de cada paciente.

A identificação de distúrbios do ritmo cardíaco que requerem a intervenção de um marcapasso depende de um processo de diagnóstico preciso. Por sua vez, o tratamento com marcapasso é uma prática comum cujo objetivo é regularizar o ritmo cardíaco do paciente.

“A precisão no diagnóstico determina a eficácia do tratamento.”

Quais exames para o Diagnóstico?

Holter monitoring device on gray background. Soft focus.
Holter monitoring device on gray background. Soft focus.

O diagnóstico começa com uma avaliação médica que inclui uma revisão dos sintomas e um exame físico. Os seguintes testes podem ser realizados para confirmar a necessidade de um marcapasso:

  • Eletrocardiograma (ECG): Este é o principal teste para identificar arritmias cardíacas. Ele mede a atividade elétrica do coração e pode mostrar se o coração está batendo muito lento, muito rápido ou de maneira irregular.
  • Holter: Este dispositivo portátil é usado para monitorar continuamente a atividade elétrica do coração, geralmente por 24 a 72 horas. Ele ajuda a detectar arritmias que podem não ser capturadas durante um ECG padrão.
  • Teste de esforço: Este teste monitora a atividade cardíaca durante o exercício físico. Permite detectar arritmias que só ocorrem durante a atividade física.
  • Looper ou monitor de eventos: Dispositivo que assemelha se a um holter, porém de períodos mais prolongados, que podem ser externos ou implantados no paciente, a fim de diagnosticar arritmias pouco frequentes.
  • Estudo eletrofisiológico: Este é um teste mais invasivo que envolve a inserção de eletrodos no coração via um cateter. Ele é usado para estudar em detalhe o sistema elétrico do coração.
  • ECG Monitoring Devices: Um adendo para este dispositivo que, com o advento da tecnologia, hoje estão presentes em vários smartwatches como da Apple ou Samsung e que funcionam como um Looper, gravando um traçado eletrocardiográfico de uma derivação, por 30 segundos e que tem ajudado muito no diagnóstico de arritmias pouco frequentes, visto sua disponibilidade e aceitação.

Tratamento

ilustração em desenho, mostrando a localização do aparelho de marcapasso, na região torácica

Uma vez confirmado o diagnóstico e a necessidade de um marcapasso, segue-se o procedimento de implantação.

Este é um procedimento minimamente invasivo, geralmente realizado sob anestesia local ou sedação superficial.

O dispositivo é colocado sob a pele, geralmente acima do músculo peitoral, e os eletrodos são guiados por raio-x através de uma veia até o coração.

Após a implantação, os pacientes passam por um período de recuperação, sendo monitorados de perto. Seguem algumas das orientações pós-implante de dispositivo:

  • Receber CARTEIRA do Dispositivo Cardíaco Eletrônico Implantável (Marcapasso);
  • Manter curativo compressivo geralmente por 48 horas, sem molhar. Após, retirar curativo e lavar com água e sabão, no sentido da cicatriz cirúrgica;
  • Evitar peso e elevar membro superior do lado operado por 01 mês (ex.: cotovelo acima da altura do ombro);
  • Evitar dispositivos magnéticos (ex.: porta de segurança de bancos, aeroportos; aparelho de Ressonância Nuclear Magnética, etc). Nestes casos, apresentar a Carteira do Marcapasso;
  • Retornar uso de anticoagulantes (Varfarina – Marevan, Rivaroxabana – Xarelto, Apixabana – Eliquis, etc); conforme orientação médica, se paciente já utilizar medicação previamente.
  • Retirar os pontos (se necessário) geralmente em 07 (sete) dias após o implante;
  • Em caso da FERIDA OPERATÓRIA apresentar odor fétido, secreção purulenta ou outras alterações, procurar IMEDIATAMENTE o Centro Cardiológico de Diagnóstico por Imagem. 
cirurgiões em centro cirúrgico

Ajustes no marcapasso podem ser necessários para garantir que ele esteja funcionando corretamente. Os pacientes precisam ter acompanhamento médico especializado e fazer telemetrias regulares para garantir que o dispositivo esteja funcionando corretamente e para ajustar as configurações, se necessário.

Para ilustrar a importância do marcapasso, podemos compará-lo a um maestro de orquestra.

Se o coração é a orquestra, o marcapasso é o maestro que garante que todos os músicos (células cardíacas) toquem no ritmo certo.

Sem o maestro, a orquestra pode ficar desorganizada e o desempenho musical (o ritmo cardíaco) pode ser afetado. Com o maestro, a orquestra pode tocar uma bela sinfonia (um ritmo cardíaco regular e saudável).

Prevalência do uso de Marcapasso no Brasil

Estilo branco clean MARCAPASSO ARRITMIAS 3

O uso de marcapassos no Brasil é uma prática médica bem estabelecida e cada vez mais comum.

Segundo dados do DATASUS, o número de implantes de marcapassos aumentou consideravelmente nos últimos anos.

“Os avanços da medicina e a maior acessibilidade aos cuidados de saúde levam a um aumento no uso de marcapassos.”

Apesar da falta de dados oficiais recentes, estimativas apontam que milhares de brasileiros vivem hoje com marcapassos.

Assim como em outros países, a prevalência de doenças cardíacas, incluindo aquelas que requerem o uso de marcapasso, tende a aumentar com a idade.

Isso significa que, à medida que a população do Brasil continua a envelhecer, é provável que o número de pessoas que necessitam de marcapassos continue a crescer.

Profissionais de saúde habilitados para Marcapasso

médico cardiologista ao lado de uma representação de um coração

Quando se trata de problemas cardíacos que necessitam de um marcapasso, os pacientes devem procurar médicos Cardiologistas com sub especializações na área de Estimulação Cardíaca Artificial (Marcapasso). Os três renomados especialistas nesta área que contribuem com posts no Medicina Ribeirão são:

Dr. Antonio Vitor Moraes Junior

O Dr. Antonio Vitor Moraes Junior é o atual Presidente da Associação Brasileira de Arritmia, Eletrofisiologia e Estimulação Cardíaca Artificial — Departamento de Estimulação Cardíaca Artificial da Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular (ABEC-DECA).

Ele é conhecido por sua especialização em Cardiologia e Arritmias Cardíacas, tendo adquirido vasta experiência durante sua Residência Médica no prestigiado Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia, em São Paulo.

“A experiência clínica e o conhecimento acadêmico formam a base para um cuidado excepcional ao paciente.”

Além disso, o Dr. Antonio Vitor possui tanto o Mestrado quanto o Doutorado em Medicina pela Universidade de São Paulo (USP), uma das universidades mais prestigiadas do Brasil e da América Latina.

Dr. Bruno Rocha Wanderley

O Dr. Bruno Rocha Wanderley é um especialista em Cardiologia, Arritmologia e Estimulação Cardíaca Implantável pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo — HCFMRP-USP. 

Possui os Títulos de especialista em Cardiologia pela Associação Médica Brasileira e Sociedade Brasileira de Cardiologia – AMB / SBC e Estimulação Cardíaca Implantável pela Sociedade Brasileira de Cardiologia, Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular e Associação Médica Brasileira – SBC / SBCCV / AMB; o que comprova sua proficiência na área.

“Especialização e experiência contam muito quando se trata do seu coração.”

Dr. Roberto Yano

O Dr. Roberto Yano é reconhecido por sua especialização em Cardiologia e Estimulação Cardíaca. Ele completou sua graduação em Medicina pela Universidade de Ribeirão Preto em 2008 e, em seguida, aprofundou seus estudos com especializações em Cardiologia Clínica e Marca-passo pela Santa Casa de Ribeirão Preto.

O compromisso com a excelência e a paixão pela medicina guiam minha prática médica.”

Seu reconhecimento não se limita apenas à sua formação acadêmica. Ele também foi agraciado com os títulos de Especialista em Cardiologia pela Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) em 2013 e Especialista em Estimulação Cardíaca Artificial pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular (SBCCV) no mesmo ano.

Além de sua prática clínica, o Dr. Roberto Yano tem uma presença digital notável. Ele mantém uma comunidade ativa de mais de 2 milhões de seguidores em suas redes sociais, onde compartilha informações valiosas sobre uma vida saudável.

Se você ou um familiar precisa de uma avaliação para um marcapasso, todos os médicos citados estão qualificados para ajudar. Oferecemos consultas e acompanhamento com médicos altamente capacitados e experientes. Entre em contato conosco para marcar uma consulta e tirar todas as suas dúvidas.

Perguntas frequentes sobre o Marcapasso

estilo azul moderno Perguntas frequentes FAQ

1. O que é um marcapasso?

Um marcapasso é um dispositivo eletrônico pequeno implantado no paciente, e ajuda a controlar o ritmo do coração. Ele usa impulsos elétricos para regular o batimento cardíaco.

2. Quem usa marcapasso pode infartar?

Sim, uma pessoa com marcapasso ainda pode ter um ataque cardíaco. O marcapasso ajuda a controlar o ritmo do coração, mas não previne todas doenças cardiovasculares como artérias “entupidas”.

3. Para que serve o marcapasso?

O marcapasso permite corrigir ritmos cardíacos anormais. É comumente usado para tratar bradicardia, que é quando o coração bate muito lentamente.

4. Quem tem marcapasso pode pegar peso?

Depende do caso individual e da orientação médica, mas geralmente após a recuperação da cirurgia, a maioria dos pacientes com marcapasso pode retomar suas atividades normais, incluindo levantamento de peso moderado.

5. Quem usa marcapasso pode se aposentar?

Ter um marcapasso não é um critério de aposentadoria por si só. A necessidade de aposentadoria será determinada pela doença de base e a capacidade do indivíduo de realizar suas funções de trabalho.

6. Como funciona o marcapasso?

O marcapasso envia impulsos elétricos para o coração para regular o ritmo cardíaco. É programado para se adaptar às necessidades individuais do paciente.

7. Quanto custa um marcapasso?

O custo de um marcapasso pode variar dependendo de vários fatores, incluindo o modelo/marca do dispositivo, os custos do hospital, honorários médicos, etc.

8. Quem usa marcapasso pode beber cerveja?

No geral, não existe contraindicação para consumir bebida alcoólica com moderação. Porém, quando isso ocorre, acontece mais devido à doença de base do paciente que motivou o implante de marcapasso do que pelo dispositivo em si. Consulte seu médico.

9. Quem usa marcapasso pode usar celular?

Sim, mas é recomendado manter o celular a uma distância segura (aproximadamente 15 cm) do marcapasso para evitar possíveis interferências.

10. Como é colocado o marcapasso no coração?

O marcapasso é implantado no corpo via um procedimento cirúrgico. O dispositivo é geralmente colocado acima do músculo peitoral e os eletrodos (ou “cabos”) são implantados por raio-x através de uma veia que vai até o coração.

11. Quanto tempo dura um marcapasso?

A duração do marcapasso depende de vários fatores, mas a maioria dos marcapassos modernos podem durar em média 07 à 12 anos.

12. Quem tem marcapasso pode fazer tomografia?

A maioria dos marcapassos modernos são seguros para tomografia, mas sempre consulte o seu médico antes de fazer qualquer procedimento de imagem.

13. Quem tem marcapasso pode fazer ressonância magnética?

A maioria dos novos marcapassos são seguros para ressonância magnética, mas cada caso é único. Sempre verifique com seu médico antes de fazer qualquer procedimento de imagem.

14. Tenho outras dúvidas sobre marcapasso, o que devo fazer?

Para mais informações, entre em contato com o Dr. Antonio Vitor Moraes Junior ou Dr. Bruno Rocha Wanderley. Você pode ligar para o telefone (insira o número de telefone) ou enviar um e-mail para a secretaria (insira o e-mail da secretaria).

15. Como desligar um marcapasso?

Desligar um marcapasso é um procedimento que deve ser realizado apenas por um profissional de saúde qualificado. Não é recomendado que indivíduos não treinados tentem desligar um marcapasso.

16. O que um portador de marcapasso não pode fazer?

Os portadores de marcapasso devem evitar proximidade com dispositivos que possam gerar campos eletromagnéticos fortes, como equipamentos industriais pesados, certos equipamentos médicos e até mesmo alguns eletrodomésticos. Além disso, é importante comunicar ao médico sobre o marcapasso antes de qualquer procedimento médico.

17. Quem tem marcapasso pode andar de avião?

Sim, é geralmente seguro para os portadores de marcapasso voar em aviões. No entanto, é recomendável apresentarem a carteirinha do marcapasso e informem à segurança do aeroporto sobre o dispositivo para evitar os detectores de metal que funcionam com campos eletromagnéticos.

18. Quem tem marcapasso pode usar infravermelho?

O uso de infravermelho, como em câmeras infravermelhas ou tratamentos de fisioterapia, é geralmente seguro para pessoas com marcapasso. No entanto, é sempre melhor consultar o seu médico.

19. Quem usa marcapasso pode dormir em colchão magnético?

Existem alguns relatos que sugerem que os campos magnéticos de um colchão magnético podem interferir com o marcapasso, e portanto, devem ser evitados. 

20. Como desligar marcapasso após óbito?

Normalmente, após o óbito, não há necessidade de desligar ou retirar o aparelho, inclusive em casos de cremação.

21. Quem tem marcapasso pode dirigir?

Sim, geralmente, um indivíduo com um marcapasso pode dirigir. A possibilidade de dirigir depende mais do motivo que levou à necessidade do marcapasso do que do próprio dispositivo.

22. Quem tem marcapasso pode fazer densitometria óssea?

Sim, a densitometria óssea é um procedimento seguro para quem possui marcapasso. Este teste utiliza raios-x de baixa energia e não interfere no funcionamento do dispositivo.

23. Quem tem marcapasso pode fazer raio-x?

Sim, um exame de raio-x pode ser feito com segurança em pessoas com marcapasso.

24. Quem tem marcapasso pode fazer tatuagem?

Geralmente, uma pessoa com marcapasso pode fazer uma tatuagem. No entanto, é aconselhável que essa pessoa converse com seu médico antes de fazer a tatuagem.

25. Quem tem marcapasso pode fazer tomografia com contraste?

Normalmente, um portador de marcapasso pode fazer uma tomografia computadorizada com contraste. Contudo, é necessário informar ao técnico ou médico sobre o marcapasso antes do procedimento.

26. Quem usa marcapasso pode fazer musculação?

Exercícios físicos, incluindo musculação, são geralmente permitidos e incentivados para portadores de marcapasso. No entanto, o nível de atividade apropriado deve ser discutido com o médico.

27. Quem usa marcapasso pode levar choque?

Choques elétricos fortes podem interferir no funcionamento do marcapasso. Portanto, é recomendado que os portadores de marcapasso evitem situações onde possam ocorrer tais choques.

28. Quem usa marcapasso pode ter relação sexual?

Sim, os portadores de marcapasso podem manter relações sexuais normalmente.

29. Como conseguir marcapasso pelo SUS?

O Sistema Único de Saúde (SUS) do Brasil fornece marcapassos para pacientes que necessitam do dispositivo. O médico precisa encaminhar o paciente para a avaliação e o procedimento é feito em um hospital credenciado.

30. Como é a cicatriz de um marcapasso?

A cicatriz de um marcapasso geralmente é uma linha fina na parte superior do peito, onde o dispositivo foi implantado. A aparência da cicatriz pode variar conforme o processo de cicatrização do indivíduo.

Leia também sobre:

Ao longo deste artigo, abordamos em detalhes vários aspectos relacionados ao marcapasso. Desde a sua definição, o modo como ele funciona, os sintomas e causas que podem indicar a necessidade de seu uso, o processo de diagnóstico e tratamento, até informações sobre especialistas na área.

Esperamos que esta exploração abrangente sobre o marcapasso tenha ajudado a esclarecer dúvidas e a entender a importância desse dispositivo na medicina moderna. No entanto, é importante ressaltar que, embora a informação seja uma ferramenta poderosa, nada substitui a opinião e aconselhamento de um especialista.

Se você ou um familiar está enfrentando problemas cardíacos, ou tem sintomas que podem indicar a necessidade de um marcapasso, não hesite em procurar ajuda médica. O Dr. Antonio Vitor Moraes Junior e o Dr. Bruno Rocha Wanderley, ambos especialistas em cardiologia e arritmologia, são profissionais altamente qualificados que podem fornecer a orientação necessária e o tratamento adequado.

“Sua saúde é a coisa mais importante que você possui. Proteja-a.”

Se você está em busca de uma avaliação, diagnóstico ou possível tratamento com marcapasso, estamos aqui para ajudar. Entre em contato conosco para agendar uma consulta. Cada caso é único, e acreditamos no fornecimento de um atendimento individualizado e cuidadoso para cada paciente.

A saúde do seu coração é vital. Não deixe de buscar ajuda quando necessário. O caminho para uma vida mais saudável pode começar com uma simples ligação.

Obrigado pela leitura e esperamos ver você em breve.

Cuide de seu coração. Agende uma consulta hoje mesmo.

Aqui no final deste conteúdo, nossos profissionais estão disponíveis e dispostos a ajudá-lo. Não espere até que seja tarde demais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Índice