Pular para o conteúdo

Arritmia Cardíaca: Causas, Sintomas e Tratamentos

Entendendo a Arritmia Cardíaca Causas, Sintomas e Tratamentos

Para enriquecer nossa abordagem e mergulhar profundamente no tema, temos a honra de apresentar três renomados especialistas no assunto:

Dr. Antonio Vitor Moraes Junior, especialista em Arritmias Cardíacas e Marcapasso, Presidente do ABEC/DECA, convidado pelo portal medicina.ribeirao.br para discutir excelência em Cardiologia."

"Dr. Bruno Rocha Wanderley, expert em Estimulação Cardíaca Eletrônica Implantável e especialista em Clínica Médica, Cardiologia e Arritmologia, colaborador do portal medicina.ribeirao.br para abordar temas cardiológicos."

"Dr. Roberto Yano, cardiologista especializado em Marcapasso e influenciador digital com mais de 2 milhões de seguidores, convidado pelo portal medicina.ribeirao.br para compartilhar sua expertise em Cardiologia.

O que é Arritmia Cardíaca?

A arritmia cardíaca, é uma condição médica que se caracteriza por um ritmo cardíaco irregular. Isso significa que o coração pode bater muito rápido, muito devagar ou de maneira desordenada.

Segundo o Dr. Antonio Vitor Moraes Junior, presidente da Associação Brasileira de Arritmia, Eletrofisiologia e Estimulação Cardíaca Artificial, existem vários tipos de arritmias cardíacas, cada uma com suas próprias características, tratamento e potenciais complicações.

IA generate mostrando coração com eletrocardiograma simulando uma arritmia cardíaca

As arritmias podem ocorrer em qualquer parte do sistema elétrico do coração, controlando o ritmo dos batimentos cardíacos. Dependendo de onde ocorrem e de quão rápido ou devagar for a frequência cardíaca, podem ser inofensivas ou potencialmente fatais.

É importante ressaltar que a arritmia cardíaca não é uma doença em si, mas uma condição de que algo pode não estar funcionando corretamente no sistema elétrico do coração.

As causas podem ser diversas, desde doenças cardíacas até o uso de certos medicamentos, e o tratamento adequado depende do diagnóstico preciso de cada tipo e da condição subjacente que a está causando.

Prevalência no Brasil

No Brasil, a arritmia cardíaca, ou descompasso do coração, é uma condição bastante prevalente. De acordo com dados recentes, estima-se que milhares de brasileiros sofram com algum tipo de irregularidade no ritmo cardíaco.

O Dr. Bruno Rocha Wanderley, enfatiza a importância de conhecer os sintomas e buscar ajuda médica imediatamente ao percebê-los.

A prevalência no Brasil é um reflexo de uma série de fatores, incluindo o envelhecimento da população, o aumento das doenças cardíacas e a melhoria dos métodos de diagnóstico.

É fundamental que as pessoas estejam cientes dos sintomas das arritmias cardíacas e procurem atendimento médico se suspeitarem que podem estar sofrendo com esta condição.

Entendendo Melhor

Para entender melhor o que é uma arritmia, podemos pensar no coração como um relógio. Quando o relógio está funcionando corretamente, ele bate em um ritmo constante e regular. No entanto, se algo der errado com o mecanismo do relógio, ele pode começar a bater muito rápido, muito devagar ou de maneira irregular – isso é uma arritmia. Em alguns casos, o relógio pode até mesmo parar momentaneamente de bater.

O Dr. Roberto Yano, médico cardiologista, usa essa analogia para ajudar seus pacientes a entenderem as diferentes formas que uma arritmia pode assumir.

Aqui está uma tabela que relaciona essa analogia com os termos técnicos de cada tipo:

AnalogiaTermo Técnico e exemplosDescrição
Relógio batendo muito rápidoTaquicardiaO coração bate a uma taxa acima do normal, geralmente mais de 100 batimentos por minuto.
Relógio batendo muito devagarBradicardiaO coração bate a uma taxa abaixo do normal, geralmente menos de 50 batimentos por minuto.
Relógio batendo de maneira irregularFibrilação atrialO coração bate de forma irregular e, muitas vezes, muito rápido. Isso pode ocorrer nos átrios (fibrilação atrial).
Tabela explicativa

Sintomas

Os sintomas podem variar dependendo do tipo e da gravidade da condição. Alguns dos sintomas mais comuns incluem palpitações, tontura, falta de ar e dor no peito. O Dr. Rafael Vinicius Otsuzi enfatiza que qualquer pessoa que experimente esses sintomas deve procurar atendimento médico imediatamente.

homem segurando o peito ou tórax simulando dor por causa da arritmia cardíaca

Causas

As arritmias cardíacas podem ser causadas por uma variedade de fatores. Algumas das causas mais comuns incluem:

  • Doenças cardíacas: Condições como doença arterial coronariana, insuficiência cardíaca, miocardite e doenças das válvulas cardíacas.
  • Estresse: O estresse crônico ou agudo pode desencadear palpitações em algumas pessoas.
  • Consumo excessivo de cafeína: A cafeína é um estimulante que pode acelerar o ritmo cardíaco e, em alguns casos, levar a taquicardia e extra-sístoles.
  • Consumo excessivo de álcool: O consumo crônico e pesado de álcool pode danificar o coração e levar a fibrilação atrial em pessoas com pré-disposição.
  • Certos medicamentos: Alguns medicamentos, incluindo certos tipos de medicamentos para a asma, antidepressivos e medicamentos para o coração, podem causar arritmias.
  • Doença renal: A redução da taxa de filtração glomerular pelos rins pode levar ao aumenta de impurezas no sangue, aumenta o risco de ritmo irregular no coração.
  • Desequilíbrios eletrolíticos: Os desequilíbrios nos níveis de eletrólitos, como potássio e magnésio, podem afetar o ritmo cardíaco.
  • Doenças da tireoide: Tanto o hipotireoidismo quanto o hipertireoidismo podem causar distúrbios no ritmo cardíaco.
  • Apneia do sono: Esta condição, na qual a respiração para e começa repetidamente durante o sono, pode levar a arritmias.
  • Diabetes: O diabetes mal controlado pode levar a doenças cardíacas, que podem resultar em distúrbios do ritmo cardíaco.
  • Genética: Algumas arritmias são hereditárias, o que significa que elas são passadas de pais para filhos através dos genes.

Como menciona o Dr. Antonio Vitor Moraes Junior, é importante lembrar que nem todas as arritmias são causadas por uma condição subjacente grave. Em alguns casos, as arritmias podem ocorrer em pessoas que não têm doenças cardíacas, são saudáveis e até mesmo ser uma variação da normalidade. No entanto, qualquer arritmia deve ser avaliada por um médico para determinar a causa e o tratamento adequado, se necessário.

Diagnóstico e Exames Complementares

O diagnóstico de uma arritmia geralmente envolve uma série de exames. O Dr. Bruno Vanderley, explica que esses exames ajudam a determinar o tipo e a gravidade da arritmia, o que é crucial para o planejamento do tratamento.

imagem de um resultado de eletrocardiograma - arritmia cardíaca

Aqui estão alguns dos exames mais comuns:

Eletrocardiograma (ECG): Este é geralmente o primeiro exame realizado se uma arritmia é suspeita. O ECG registra a atividade elétrica do coração e pode ajudar a identificar qualquer ritmo cardíaco irregular.

Holter de 24h: Este é um dispositivo portátil que registra continuamente a atividade elétrica do coração por 24 a 48 horas. Ele fornece informações mais detalhadas do que um ECG e pode ajudar a detectar arritmias que ocorrem em momentos específicos do dia ou durante certas atividades.

  • Teste de esforço: Este teste, também conhecido como teste de estresse, envolve o monitoramento do coração enquanto o paciente realiza atividade física, geralmente em uma esteira ou bicicleta ergométrica. Ele pode ajudar a determinar se o exercício desencadeia a arritmia.
  • Estudo eletrofisiológico (EEF): Este é um teste mais invasivo que envolve a inserção de cateteres por meio de uma veia na perna até o coração. O EEF pode fazer o diagnóstico através da indução a arritmia, fornecer informações detalhadas sobre o mecanismo de ação e manutenção, além de tratá-las através da ablação por radiofrequência (energia térmica – calor ou frio – que cauteriza o local de origem da arritmia) em casos específicos.
  • Monitor de eventos cardíacos: Este é um dispositivo portátil que o paciente ativa quando sente sintomas de uma arritmia. Ele pode ser usado por várias semanas ou meses e pode ajudar a capturar arritmias que ocorrem infrequentemente.
  • ECG Monitoring Devices: Na atualidade, com os avanços tecnológicos, já é possível através da tecnologia, adquiri, por exemplo, relógios (smartwatches) com a capacidade de monitorar o ECG por tempo determinada (uma derivação / 30 segundos) de forma não invasiva. Isso possibilita, em até 85% o diagnóstico de arritmias intermitentes que não são capturadas pelos exames convencionais.

Lembre-se, o diagnóstico preciso é a chave para um tratamento eficaz da arritmia. Se você suspeita que pode ter uma arritmia, procure atendimento médico imediatamente.

Sinais de Alerta (Red Flags)

Existem alguns sinais de alerta que podem indicar uma arritmia grave ou uma condição cardíaca subjacente séria. Esses sinais, conhecidos como “red flags”, são como alarmes soando, alertando que algo não está certo e que atenção médica imediata pode ser necessária. Estes incluem:

  • Doença cardíaca prévia: Pacientes que já possuem doença cardíaca prévia conhecida como infarto agudo do miocárdio, insuficiência cardíaca, miocardite, etc; tem a maior probabilidade de evoluir com arritmias potencialmente graves.
  • Desmaios: Perder a consciência pode ser um sinal de que o coração não está conseguindo bombear sangue suficiente para o cérebro. Isso pode ser causado por uma arritmia que faz o coração bater muito rápido ou muito devagar.
  • Dor no peito severa: A dor no peito pode ser um sinal de que o coração não está recebendo oxigênio suficiente, o que pode ser causado por uma arritmia ou por uma doença cardíaca mais grave, como a doença arterial coronariana.
  • Falta de ar: A dificuldade para respirar pode ser um sinal de que o coração não está conseguindo bombear sangue suficiente para o corpo. Isso pode ser causado por uma arritmia ou por outras condições cardíacas, como insuficiência cardíaca.

O Dr. Rafael Vinicius Otsuzi, aconselha que se você experimentar qualquer um desses sintomas, procure atendimento médico imediatamente. Esses sinais de alerta são como um grito de socorro do seu coração — não os ignore.

Tratamento para Arritmia

O tratamento para arritmia pode variar bastante, dependendo do tipo e da gravidade da condição. Segundo o Dr. Antonio Vitor Moraes Junior, o objetivo do tratamento é controlar o ritmo cardíaco e prevenir complicações. Segue algumas das opções de tratamento mais comuns:

médico consultando paciente e passando tratamento para arritmia cardíaca
  • Mudanças no estilo de vida: Em alguns casos, fazer mudanças no estilo de vida pode ajudar a controlar a arritmia. Isso pode incluir evitar cafeína e álcool, parar de fumar, manter um peso saudável, controlar o estresse e realizar exercícios físicos regulares.
  • Medicamentos: Existem vários medicamentos que podem ser usados para controlar o ritmo cardíaco ou para tratar as condições subjacentes que podem estar causando a arritmia.
  • Procedimentos médicos: Em alguns casos, pode ser necessário realizar um procedimento médico para tratar a arritmia. Isso pode incluir a cardioversão, na qual um choque elétrico é usado para restaurar o ritmo cardíaco normal, ou a ablação por cateter, na qual um cateter é usado para destruir as áreas do coração que estão causando a arritmia.
  • Cirurgia: Em casos graves, pode ser necessário realizar uma cirurgia para implantar um dispositivo, como um marcapasso ou um desfibrilador implantável, que pode ajudar a controlar o ritmo cardíaco.

Lembre-se, o tratamento mais eficaz para a arritmia depende do tipo e da gravidade da arritmia, bem como de qualquer outra condição médica que o paciente possa ter. É importante discutir todas as opções de tratamento com o seu médico para determinar a melhor abordagem para você.

Qual profissional de saúde procurar?

Se você suspeita que pode ter uma arritmia, o primeiro passo é procurar um médico especialista em cardiologia, ou seja, especializado em doenças do coração.

A arritmia pode ser algo benigno ou potencialmente grave, mas com o diagnóstico e tratamento adequados, é possível viver uma vida saudável e ativa. O Dr. Roberto Yano enfatiza a importância de procurar ajuda médica se você suspeita que pode ter uma arritmia.

Tabela Sobre Arritmia Cardíaca

Aqui está uma tabela resumindo as informações importantes sobre arritmia cardíaca:

InformaçãoDescrição
O que é?Uma condição caracterizada por um ritmo cardíaco irregular.
SintomasPalpitações, tontura, falta de ar, dor no peito, etc
CausasDoenças cardíacas, estresse, consumo excessivo de cafeína ou álcool, certos medicamentos, etc.
DiagnósticoEletrocardiograma (ECG), Holter 24h, teste de esforço, etc.
TratamentoMudanças no estilo de vida, medicamentos, procedimentos médicos, etc.

Perguntas Frequentes sobre Arritmia Cardíaca

Perguntas (FAQ) dados que ao invés de números apresenta pontos de interrogação

O que é arritmia cardíaca?

Arritmia é uma condição onde o ritmo dos batimentos cardíacos se torna irregular, podendo ser muito rápido, muito lento ou desorganizado.

Quais são os principais tipos de arritmias?

Os principais tipos incluem fibrilação atrial, taquicardia ventricular, bradicardia e síndrome do QT longo.

Como posso saber se tenho uma arritmia?

Alguns sintomas incluem palpitações, tontura, fadiga e falta de ar. Entretanto, o diagnóstico preciso geralmente requer exames como o eletrocardiograma.

Quais são as possíveis causas da arritmia?

As causas podem variar desde problemas genéticos, doenças cardíacas, hipertensão, diabetes, tabagismo até consumo excessivo de cafeína.

Como é o tratamento para arritmias cardíacas?

O tratamento varia conforme o tipo e a gravidade. Pode incluir medicamentos, procedimentos médicos ou dispositivos implantáveis como marca-passos.

A arritmia é sempre perigosa?

Nem todas as arritmias são perigosas, mas algumas podem aumentar o risco de complicações como AVC ou insuficiência cardíaca.

A arritmia tem cura?

Dependendo da causa e do tipo, arritmias podem ser controladas ou até mesmo curadas com tratamento adequado.

Quais profissionais devo procurar se suspeitar de arritmia?

Caso suspeite de uma arritmia, é recomendado procurar um cardiologista ou eletrofisiologista para uma avaliação detalhada.

Arritmias são mais comuns em certas faixas etárias?

Enquanto algumas arritmias podem surgir em jovens devido a condições genéticas, outras, como a fibrilação atrial, tornam-se mais comuns com o avanço da idade.

A prática regular de exercícios é segura para quem tem arritmia?

Depende da gravidade e do tipo de arritmia. Muitas pessoas com arritmias leves podem se exercitar sem problemas, mas é crucial consultar um médico para obter orientações específicas.

Considerações finais

A arritmia pode ser algo benigno ou potencialmente grave, mas com o diagnóstico e tratamento adequados, é possível viver uma vida saudável e ativa. O Dr. Antonio Vitor Moraes Junior enfatiza a importância de procurar ajuda médica se você suspeita que pode ter uma arritmia.

Esperamos que este artigo tenha ajudado a esclarecer suas dúvidas sobre a arritmia. Como o Dr. Bruno Rocha Wanderley sempre diz, “A saúde do seu coração é a chave para a sua saúde geral”.

Índice

0 0 Votos
Vote
Inscreva
Notifique por
guest
3 Comentários
Comentários em linha
Ver todos os comentários
trackback

[…] Arritmias: Dr. Yano também destaca que os ritmos cardíacos anormais, podem contribuir para a fadiga, principalmente a bradicardia, condição que às vezes necessita marcapasso.  […]

trackback

[…] Apesar disso, sem tratamento, a comunicação interatrial pode levar a complicações sérias, como … […]

trackback

[…] Arritmia Cardíaca: Causas, Sintomas e Tratamentos […]

trackback

[…] Marcapasso: Tudo o que você precisa saber Arritmia Cardíaca: Causas, Sintomas e Tratamentos […]

3
0
Deixe seu comentáriox