Pular para o conteúdo

Atomoxetina: uma nova opção de tratamento para TDAH chega ao Brasil!

vários potes de medicamentos de Atomoxetina:

Em um avanço significativo para o tratamento do Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) no Brasil, em julho de 2023, a fabricante Apsen Pharmacare obteve a aprovação da ANVISA para comercializar sua atomoxetina sob o nome comercial Atentah.

Este medicamento, amplamente utilizado em outros países para tratar pacientes com TDAH, agora abre novas possibilidades de tratamento em território brasileiro.


O que é Atomoxetina?

A atomoxetina, comercialmente conhecida como Strattera, é um inibidor seletivo da recaptação de norepinefrina.

Sua principal indicação é para o tratamento do Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) em crianças, adolescentes e adultos.

Vantagens da Atomoxetina

medicamento atomoxetina com a tampa aberta e com o remédio espalhado sobre uma superficie

Dra Célia Bianco nos relata que uma das principais vantagens da atomoxetina é que ela não é uma substância controlada com Receita Amarela (Notificação de Receita “A”) como o venvanse e a ritalina. 

Ao abordarmos o tratamento do TDAH, é fundamental entender as diferenças entre os medicamentos disponíveis.

A atomoxetina, por exemplo, tem uma característica distintiva: ela não é uma substância controlada.

Mas o que isso realmente significa, especialmente quando a comparamos com outros medicamentos como a Ritalina e o Venvanse?

tabela atomoxetina comparada com venvanse e ritalina

O Controle da Ritalina e do Venvanse

A Ritalina (metilfenidato) e o Venvanse (lisdexanfetamina) são estimulantes do sistema nervoso central.

Eles atuam aumentando a quantidade de certos neurotransmissores no cérebro, ajudando a melhorar a concentração e a reduzir os comportamentos impulsivos típicos do TDAH.

No entanto, esses medicamentos são classificados como substâncias controladas. Isso ocorre porque:

  1. Potencial de Abuso: Estimulantes como a Ritalina e o Venvanse têm potencial para serem abusados. Quando usados inadequadamente, podem causar euforia, especialmente em doses elevadas, o que pode levar à dependência.
  2. Efeitos Colaterais: Além do potencial de abuso, esses medicamentos podem causar efeitos colaterais significativos, como aumento da pressão arterial e da frequência cardíaca.
  3. Desvio para Uso Não Médico: Há relatos de estudantes e profissionais que usam esses medicamentos para melhorar o desempenho acadêmico ou profissional, mesmo sem terem TDAH.

Devido a esses riscos, a prescrição e dispensação desses medicamentos são rigorosamente controladas pelas autoridades de saúde.

Atomoxetina — uma alternativa sem controle rigoroso

comprimidos com fundo azul

Diferentemente da Ritalina e do Venvanse, a atomoxetina não é um estimulante.

Ela é um inibidor seletivo da recaptação de norepinefrina.

Isso significa que sua ação no cérebro difere, e ela não possui o mesmo potencial de abuso que os estimulantes.

Por essa razão, a atomoxetina:

  • Não é uma substância controlada com Receita Amarela (Notificação de Receita “A”) — Não há risco de dependência associado ao seu uso, e, portanto, sua prescrição e dispensação não são tão rigorosamente controladas.
  • Oferece uma opção para pacientes com preocupações específicas: Para aqueles que têm um histórico de abuso de substâncias ou preocupações com os efeitos colaterais dos estimulantes, a atomoxetina pode ser uma alternativa mais segura.

Se você está interessado em entender mais sobre medicamentos comuns usados no tratamento do TDAH, como a Ritalina e o Venvanse, recomendamos a leitura dos nossos artigos detalhados.

Ambos os medicamentos têm suas particularidades, benefícios e efeitos colaterais.

Duração da ação da Atomoxetina

A atomoxetina é um medicamento utilizado no tratamento do TDAH e, como tal, é importante entender quanto tempo seus efeitos duram e quando os pacientes podem esperar ver melhorias após iniciar o tratamento.

Tempo de atuação

A atomoxetina tem uma duração de ação de pelo menos 10 a 12 horas.

Isso significa que, após a ingestão, seus efeitos terapêuticos podem persistir por quase metade do dia.

Isso é benéfico para pacientes que precisam de alívio dos sintomas do TDAH durante o dia escolar ou de trabalho.

Início da ação e resposta completa

De acordo com uma revisão sistemática de 2013:

  • O início inicial da ação da atomoxetina pode variar. Em alguns pacientes, os efeitos podem começar a ser notados em apenas uma semana após o início do tratamento. No entanto, em outros, pode levar até quatro semanas para observar qualquer melhoria.
  • Embora alguns efeitos possam ser notados nas primeiras semanas, a resposta completa ao medicamento, onde os benefícios máximos são observados, geralmente não é alcançada até 6 a 12 semanas após o início do tratamento.

Isso destaca a importância da paciência ao iniciar um novo tratamento para o TDAH.

A atomoxetina pode levar algum tempo para mostrar sua eficácia completa.

Pacientes e cuidadores devem estar cientes disso e se comunicar regularmente com o médico sobre qualquer preocupação ou efeito colateral.

Administração e Dosagem

uma mão segurando comprimidos de Atomoxetina e a outra mão está segurando uma xícara de agua para tomar o remédio

A atomoxetina é administrada via oral e pode ser tomada uma ou duas vezes ao dia. A cápsula deve ser engolida intacta.

A eficácia do medicamento varia segundo o horário de administração, sendo geralmente mais eficaz pela manhã.

No entanto, a administração à noite está associada a menos efeitos adversos do que pela manhã e pode ser melhor tolerada ao iniciar a terapia.

Disponibilidade no Brasil e preço da Atomoxetina

No entanto, é importante notar que, apesar da recente aprovação da ANVISA, a comercialização do Atentah no mercado brasileiro ainda pode demorar um pouco.

Enquanto aguardamos sua disponibilidade nas farmácias locais.

Efeitos adversos da Atomoxetina

A atomoxetina, como qualquer medicamento, possui efeitos adversos que podem variar de leves a graves.

É essencial estar ciente desses efeitos ao considerar ou iniciar o tratamento.

Vamos explorar mais profundamente esses efeitos:

Efeitos adversos gerais

Os efeitos adversos mais comuns associados à atomoxetina incluem:

  • Perda de peso: Alguns pacientes podem experimentar uma diminuição no apetite, levando à perda de peso.
  • Dor abdominal: Pode ser acompanhada de náusea e vômito.
  • Diminuição do apetite: Isso pode ser temporário e geralmente melhora com o tempo.
  • Dispepsia: Indigestão ou desconforto no estômago.
  • Dor de cabeça: Pode variar de leve a moderada.
  • Tontura e sonolência: Recomenda-se cautela ao dirigir ou operar máquinas.
  • Fadiga: Sensação de cansaço ou esgotamento.
  • Irritabilidade: Mudanças de humor ou irritação aumentada.

Efeitos cardiovasculares

A atomoxetina tem um efeito estimulante sobre o sistema nervoso simpático.

Embora raros, eventos cardiovasculares graves, incluindo morte súbita, podem ocorrer durante o tratamento.

Priapismo

O priapismo, uma ereção prolongada e dolorosa, é um efeito adverso raro, mas grave, associado à atomoxetina.

Pensamento suicida

Em alguns pacientes, especialmente crianças e adolescentes, a atomoxetina foi associada a um risco aumentado de pensamentos suicidas.

Efeitos psiquiátricos

Além dos pensamentos suicidas, outros efeitos adversos psiquiátricos raros, como alucinações, pensamento delirante e mania, podem ocorrer durante o tratamento com atomoxetina.

Tiques

Houve relatos associando o uso de atomoxetina ao início de tiques motores, movimentos repetitivos e involuntários.

Lesão hepática

Em casos raros, a atomoxetina foi associada a lesões hepáticas graves.

Os pacientes devem ser monitorados para sinais e sintomas de lesão hepática, como fadiga, anorexia, urina escura e icterícia.

É fundamental que os pacientes e cuidadores estejam cientes desses efeitos adversos e comuniquem qualquer sintoma ao médico. A decisão de continuar ou interromper o tratamento deve ser tomada com base em uma avaliação cuidadosa dos benefícios e riscos.

Leia também sobre os medicamentos inibidores de norepinefrina e seus efeitos:


Contraindicações da Atomoxetina

A atomoxetina, como qualquer medicamento, possui contraindicações específicas. É crucial que os pacientes estejam cientes dessas contraindicações para evitar complicações potencialmente graves.

image

Perguntas frequentes (FAQ) sobre Atomoxetina

Perguntas e respostas FAQs 10 3

1. O que é atomoxetina?

A atomoxetina é um medicamento utilizado para tratar o Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH). Diferentemente de outros tratamentos para TDAH, não é uma substância controlada.

2. Qual é o preço da atomoxetina no Brasil?

O preço da atomoxetina no Brasil ainda não está definido, pois sua comercialização pelo nome comercial Atentah, da Apsen Pharmacare, ainda não começou. No entanto, é possível importar a atomoxetina sob o nome Strattera.

3. Quais são os nomes comerciais da atomoxetina?

Os principais nomes comerciais da atomoxetina são Atentah (comercializado pela Apsen Pharmacare no Brasil) e Strattera (produzido pelo laboratório Eli Lilly).

4. A atomoxetina já está disponível no Brasil?

A atomoxetina, sob o nome comercial Atentah, recebeu aprovação da ANVISA em julho de 2023. No entanto, sua comercialização ainda pode demorar um pouco.

5. Onde posso encontrar a bula da atomoxetina?

A bula da atomoxetina estará disponível nas embalagens do medicamento e também pode ser consultada online em sites especializados e no site da ANVISA.

6. Qual é o preço da atomoxetina no mercado internacional?

O preço da atomoxetina no mercado internacional varia. Para uma cotação detalhada, é recomendado consultar fornecedores ou farmácias internacionais.

7. A atomoxetina foi aprovada pela ANVISA?

Sim, em julho de 2023, a atomoxetina, sob o nome comercial Atentah, foi aprovada pela ANVISA.

8. Onde posso comprar atomoxetina?

Atualmente, a atomoxetina pode ser adquirida por meio de importação, sob o nome comercial Strattera. Em breve, espera-se que o Atentah esteja disponível nas farmácias brasileiras.

Nota

Este artigo contou com a valiosa colaboração de colegas especialistas em Psiquiatria, cujas contribuições enriqueceram o conteúdo e reforçam a credibilidade das informações apresentadas.

Imagem dos colaboradores médicos Dra. Célia Regina Barreto Bianco e Dr. André Pastana Beraldo, ambos especialistas em Psiquiatria com anos de experiência em atendimento psiquiátrico, que contribuíram para enriquecer o conteúdo deste artigo.
Para mais artigos e informações, visite os perfis dos médicos: Dra. Célia Regina Barreto Bianco e Dr. André Pastana Beraldo

Gostou do nosso artigo?

Compartilhe com seus amigos e familiares para que mais pessoas possam entender sobre esse tema importante para nossa saúde mental.

Deixe também seu comentário abaixo, adoraríamos ouvir sua opinião!

Referências:

Nota de Revisão Técnica

Revisado por Dra. Célia Regina Barreto Bianco, Psiquiatria.

CRM: 68641, RQE: 78681
Sem nome 1080 × 720 px 4

1 comentário em “Atomoxetina: uma nova opção de tratamento para TDAH chega ao Brasil!”

  1. Avatar
    Eliane Berna Arcino

    É possível uma criança de 6anos engolir uma cápsula de atomoxina?
    Ou existe outro meio de ingerir caso ela não consiga engolir ?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Índice