Liraglutida – Precauções de uso

 

FOR-WEB---OBESIDADE

Este texto tem por objetivo, orientar precauções sobre o uso da Liraglutida para o tratamento de obesidade, nome comercial Vic toza® e Sax enda®.

Não vou me referir sobre o uso no tratamento da diabetes que é um assunto a parte!

É um medicamento que se bem indicado, pode levar a benefícios, porém como todo medicamento, deve ser prescrito e acompanhado por um médico, na minha opinião, de preferência um endocrinologista. Tenho o intuito de alertar contra o uso por conta própria, sem o devido acompanhamento médico, pelo risco de efeitos adversos.

Em determinada época virou moda e muitas pessoas estavam usando por indicação de colegas e amigos. Dessa forma ao longo desse texto, sendo bem objetivo, vou mostrar porque o tratamento merece acompanhamento médico.

Mais uma vez reforço, que eu como cardiologista, até prefiro que o paciente acompanhe com um endocrinologista que já é um profissional que usa na sua rotina o Liraglutida para tratamento de diabetes e também para o tratamento de obesidade.

 

Alguns parâmetros a serem monitorizados

  • Glicemia
  • Hemoglobina glicada
  • Função Renal – Creatinina e Uréia –
  • Sinais e sintomas de pancreatite
  • Triglicérides
  • Sinais e sintomas de colecistopatia
  • Início ou piora de depressão
  • Pensamentos de auto-extermínio
  • Mudanças comportamentais
  • Frequência Cardíaca
  • IMC

 

Precauções e alertas:

Efeitos cardiovasculares: O aumento da frequência cardíaca em repouso tem sido observado desde os estudos iniciais do medicamento. Uma monitorização é recomendada. Descontinuar o uso em pacientes que apresente um aumento significante e sustentado da frequência cardíaca de repouso.

Doença da Vesícula: O uso do medicamento pode aumentar o risco de cálculos vesiculares e doença das vias biliares. Colelitíase e Colecistite tem sido reportado em pacientes recebendo liraglutida, com a maioria dos pacientes necessitando de hospitalização ou cirurgia de colecistectomia.

Sintomas gastrointestinais: As reações mais comuns são relacionados aos sintomas gastrointestinais. Esses sintomas podem ser doses dependentes e podem diminuir de intensidade com um aumento gradual da dose e com o passar do tempo. Pode ser necessitário descontinuar o uso se ocorrer depleção de volume em decorrência de diarreia, náuseas e vômitos.

Reações de hipersensibilidade: assim como a maioria dos medicamentos, podem ocorrer reações de hipersensibilidade, incluindo angioedema e anafilaxia.

Pancreatite: Casos de pancreatite aguda e crônica (incluindo fatal e não-fatal, hemorrágica ou necrotizante) tem sido reportados. É importante monitorizar sinais e sintomas de pancreatite (ex: dor abdominal acentuada e persistente que pode irradiar para costas, acompanhado ou não de vômitos).

Efeitos psiquiátricos: Evitar uso em pacientes com história de tentativas de suicídio prévias ou comportamento de risco.

Efeitos renais: Insuficiência Renal Aguda e piora de função renal na Insuficiência Renal Crônica (incluindo casos graves que necessitaram de dialise) tem sido reportados. Alguns casos foram reportados em pacientes sem lesão renal conhecida previamente. Os casos foram principalmente reportados em associação com vômitos, diarreia ou desidratação.

 

Reações adversas no tratamento de liraglutida para obesidade. 

Incidência > 10%

Aumento da frequência cardíaca (> 10 bpm comparado a frequência antes do uso) – 34%

Aumento da frequência cardíaca (> 20 bpm comparado a frequência antes do uso) – 5%

Cefaléia ou dores de cabeça – 14%

Hipoglicemia – em paciente não diabéticos – 2 a 3%

Náuseas – 39%

Diarréia – 21%

Constipação – 19%

Vômitos – 16%

Reações a injeção no local – 3 a 14%

 

Incidência de 1% a 10%

Taquicardia: 6%

Fadiga e tontura: 7 a 8%

Prurido no local da injeção ou rash cutâneo: 1% a 3%

Distensão abdominal: 5%

Dor abdominal: 5%

Doença do refluxo gastroesofágico: 5%

Aumento de lipase: 2 a 5%

Colelitíase: 2%

Xerostomia: 2%

Infecção urinária: 4%

 

Mecanismo de ação:

Liraglutida é uma análogo de longa duração do GLP-1 (human glucagon like peptide-1, um hormônio, que aumenta a secreção de insulina dependente de glicose, diminui a secreção inapropriada de glucagon, aumento o crescimento e replicação das células Beta, diminui o esvaziamento gástrico, e auxilia na diminuição da ingestão alimentar.

A administração de liraglutida resulta em uma diminuição da hemoglobina glicada em aproximadamente 1%.

 

 

Posts relacionados:

Exercício Físico no Tratamento e Prevenção de Hipertensão

Dieta e saúde

 

 

 

Um comentário sobre “Liraglutida – Precauções de uso

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.