O que já sabemos sobre anticoagulantes em pacientes com Covid-19?

Uma sessão inteira do Congresso do American College of Cardiology (ACC 2021), foi dedicada à discussão da prevenção e tratamento de eventos tromboembólicos, com anticoagulantes, na Covid-19.

As principais mensagens vindas de várias revisões e recomendações de sociedades e organizações de saúde do mundo, incluindo a participação do Brasil, foram:

  1. A epidemiologia e fisiopatologia da trombose dos pacientes com Covid-19 ainda precisa ser mais elucidada.
  2. A identificação precoce dos fatores de risco preexistentes para trombose é crucial para definir as estratégias de prevenção.
  3. Pacientes que já usam anticoagulantes por outros motivos devem manter o uso durante o tratamento da Covid-19 e avaliar possíveis interações medicamentosas.
  4. Pacientes com alto risco para trombose sem diagnóstico de Covid-19 não devem usar anticoagulantes de forma profilática.
  5. Pacientes com diagnóstico de Covid-19, mas oligossintomáticos e sem fatores de risco conhecidos também não devem tomar anticoagulantes de forma profilática.
  6. A prevenção farmacológica de tromboembolismo em pacientes internados, quando indicada, segue as mesmas recomendações de drogas e doses usadas em pacientes sem quadro de Covid-19. Bem como o tratamento de tromboembolismo venoso (TVP) e pulmonar (TEP) e a prevenção de recorrências.
  7. A pesquisa de TEP não deve ser feita de rotina em todo paciente com dímero D elevado ou com insuficiência respiratória. A suspeita clínica deve incluir: piora súbita da ventilação; taquicardia súbita; hipotensão sem explicação (excluindo sepse, arritmia ou hipovolemia); alterações do ECG sugerindo TEP e/ou sinais clínicos de TVP.
  8. Em pacientes internados com diagnóstico de Covid-19 e TEP, o tratamento mais indicado é com heparina de baixo peso molecular e depois DOAC após a alta por no mínimo três meses.
  9. Os anticoagulantes orais de ação direta (DOAC) podem ser utilizados após a alta, em pacientes selecionados (alto risco de trombose e baixo risco de sangramento), por um período médio de seis meses, a depender dos fatores de risco para recorrência

Vários estudos testando diversas estratégias diferentes no tratamento da trombose em pacientes com Covid-19 vem sendo realizados e os resultados, em breve, poderão esclarecer algumas dúvidas ainda restantes no entendimento dessa enfermidade.

Dr. Rafael Vinicius Otsuzi 
Médico pela Universidade de São Paulo – Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto – USP Residência Médica: Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo – HC – FMRP USP Especialista em Cardiologia pela Associação Médica Brasileira (AMB) Título de Especialista em Cardiologia pela Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC)

Referência bibliográfica:
  • AntiCoagulaTIon cOroNavirus – ACTION. Present by Dr. Renato D. Lopes at the American College of Cardiology Virtual Annual Scientific Session (ACC 2021), May 16, 2021. Leia o artigo completo, clique aqui.
  • Intermediate Versus Standard-Dose Prophylactic Anticoagulation in Critically Ill Patients With COVID-19 – INSPIRATION-S. Presented by Dr. Behnood Bikdeli at the American College of Cardiology Virtual Annual Scientific Session (ACC 2021), May 16, 2021. Leia o artigo clicando aqui.
  • Talasaz AH, et al. Recent Randomized Trials of Antithrombotic Therapy for Patients With COVID-19: JACC State-of-the-Art Review. J Am Coll Cardiol. 2021 Apr 20;77(15):1903-1921. doi: 10.1016/j.jacc.2021.02.035. Epub 2021 Mar 16. PMID: 33741176; PMCID: PMC7963001.
  • The European Society for Cardiology. ESC Guidance for the Diagnosis and Management of CV Disease during the COVID-19 Pandemic. Leia o artigo clicando aqui.. (Last update: 10 June 2020)

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.