Cruzeiros, Viagens e Motion Sickness

Hoje vou passar algumas informações para aqueles que estão planejando alguma viagem, por exemplo um cruzeiro, e temem passar mal.

Esse texto visa ajudar aqueles que já tiveram alguma experiência ruim, devido a síndrome de motion sickness.

O exemplo mais clássico de motion sickness é o enjôo que algumas pessoas sentem em viagens marítimas. Por curiosidade, descobri que a palavra náuseas é derivado da palavra grega para navio (naus). É algo tão comum que já havia sido descrito por Hippocrates.

Motion sickness não é considerado uma doença, pois pode ser induzida em praticamente quase todos os indivíduos. A variabilidade entre as pessoas é enorme, algumas desenvolvem sintomas com uma mínima provocação, enquanto outras tem uma resistência grande.

 

Em um estudo com cerca de 20 mil pessoas em viagens marítimas: 

  • 20% se sentiram ligeiramente mal 
  • 04% se sentiram “quite ill”
  • 04% se sentiram “dreadfull ill”
  • 02% apresentaram vômitos 

 

Fatores de risco para desenvolvimento de motion sickness

Gênero: mulheres são geralmente mais suscetíveis do que homens

Idade: Crianças com menos de 02 anos são geralmente mais resistentes a desenvolveram sintomas. O pico de incidência ocorre geralmente aos 09 anos e vai diminuindo com o passar da idade adulta.

Fatores genéticos: Há estudos de genoma relacionando motion sickness a fatores genéticos.

Fatores hormonais: Mulheres grávidas são particularmente suscetíveis a passarem mal de motion sickness.

Expectativas: Um estudos com marinheiros demonstrou que aqueles que não tinham experiência com sintomas prévios de motion sickness e afirmaram que não passariam mal nas viagems confirmaram essa tendência. Ou seja, quem já teve experiências ruim prévias ou imaginam que irão passar mal, estão sobre maior risco.

 

Porque aparecem sintomas de Motion Sickness?

Na ausência de um movimento ativo, gerado por vontade própria, a estimativa de movimento pelo cérebro se baseia no sistema vestibular, visual e informações somatosensorial. Quando os três sistemas não estão congruentes entre si, um conflito sensório é gerado no cérebro, e essa é uma hipótese sobre a geração de sintomas de Motion Sickness.

 

Quais os sintomas clínicos de Motion Sickness?

 

A síndrome de motion sickness é facilmente reconhecida, já que incluem sintomas quando a pessoa está em um movimento passivo (parado em um ônibus em movimento, barco, avião, etc) ou na sensação visual de movimento estão parado (por exemplo em jogos virtuais).

O sintoma mais característico de motion sickness é náusea. 

Esse artigo visa principalmente ajudar a prevenir ou amenizar a náusea daqueles que são mais suscetíveis a ter motion sickness.

Outros sintomas incluem sensação de moleza, vômitos, dores de cabeça, tontura não rotatória e sudorese.

Outros sinais podem aparecer como palidez cutânea.


Os sintomas tipicamente amenizam após 36 a 72 horas de exposição contínua.

 

Abordagem para prevenção

Um paciente pode procurar o seu médico para saber sobre a prevenção de motion sickness ou sobre o tratamento do sintomas. Qualquer menção a medicamentos nesse artigo deve ser lembrada que todos medicamentos tem contraindicação, efeitos colaterais, interação com outros medicamentos, interação com alcoól, etc; e que dessa maneira deve-se evitar auto-medicação, principalmente em quem tem problemas de saúde ou já faz uso de outros medicamentos.

 

Medidas não medicamentosas

Há várias medidas não medicamentosas que ajudam a prevenir ou amenizar o motion sickness.

Olhar para o horizonte, ou para um objetivo fixo. 

Evitar ler ou olhar para celular, tablets ou monitores durante viagens em movimento.

Selecionar um lugar adequado:

Em um navio: Quanto mais para o meio menor o balanço (Na polpa do navio, além de balançar mais, em alguns navios ainda se sente um tremor das hélices). Decks mais inferiores também tendem a balançar menos. Ou seja, cabines em andares mais baixos e no meio do navio são mais estáveis. 

No avião: lugar mais próximo a frente da asa do avião. 

Em tranporte terrestre: Dirigir é melhor do que ser passageiro. Quando for passageiro, o local da frente e fixar o olhar na estrada como se fosse o motorista.

 

Tratamentos complementares ou alternativos

De acordo com o artigo referência desse texto (Uptade), há duas medidas que podem ser usadas, já que são bem toleradas e podem ter potencial benefício.

Alguns estudos sugeriram benefício com uso prévio de 01 a 02 gramas de gengibre. Além disso o artigo também aconselha, em caso de aparecimento de sintomas de motion sickness, chupar uma bala de gengibre.

Outro método que poderia ajudar seria o uso de pulseiras de pressão no ponto P6 (cerca de três dedos após o início do punho (irei anexar uma foto para melhor visualização).

 

Medicamentos para prevenção de náuseas

Medicamentos ajudam na prevenção de motion sickness porém tem efeitos colaterais, como sedação e outros.


Dessa forma, devem ser usados de forma criteriosa. 


Os medicamentos mais estudados e mais comumente usados são os antihistaminicos (Dramin, Meclin) e escopolamina (buscopam).

Em outros países, existe um adesivo de escopolamina que se coloca atrás da olhera e tem duração de 72 horas. No Brasil, não tem opção de comprar em farmácias e o custo do importado é alto, em torno de 450 reais, uma caixa com 04 adesivos.

Dessa forma, diante da dificuldade de encontrar a escopolamina para uso transdérmico, não é costumeiramente usado no nosso país.


De maneira prática, quando alguém precisa de medicamentos para uma prevenção mais efetiva, seja por experiência prévia de mal estar relacionado a viagens ou por já saber que irá passar muito mal, resta a opção do uso de dramin ou meclin. Normalmente a dose de dimenidrato é meio comprimido de 50mg a cada 04 ou 06 horas. Para alguns, essa dose pode causar muita sonolência, e ajustes podem ser necessário. A dose máxima descrita em bula de dimenidrato é de 400mg ao dia, porém não recomendo chegar a níveis altos pelos efeitos colaterais e sedação. 


Nota: Não tome remédio sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para sua saúde.


Possíveis efeitos adversos são sonolência, tonturas, boca seca, retenção urinária, dores de cabeça, entre outros. Deve-se ter cuidado com quem tem asma, DPOC ou enfisema, glaucoma e dificuldades em urinar.


Em caso de falha do uso dos medicamentos acima, uma opção de medicamento menos estudado é a prometazina (Fenergan). Mais uma vez fica a Nota: Não tome remédio sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para sua saúde.

O Fenergan é um medicamento que é muito usado em Pronto Atendimento médico para tratamento de alergias e como sedativo. Além de ser um sedativo relativamente potente, também tem ação como medicamento antiemético (contra náuseas e vômitos). Eu sempre oriento que dentre efeitos colaterais descritos acima, o Fenergan costuma dar muito sono em algumas pessoas que as vezes acordam com sintomas de “ressaca” no dia seguinte.


A ondasetrona (Vonau) não é um medicamento eficaz na prevenção de motion sickness, porém é muito útil em caso de náuseas. Por ser absorvido sublingual, costuma ter ação rápida e normalmente não causa sedação.


Também existe relatos de pessoas que se sentira bem com uso de betaistina (Labirin), porém não recomendamos de forma rotineira. O labirin tem como uma das ações ser agonista do receptor H1 da histamina (contrário do dramin e meclin que são antagonistas H1). Não há evidência científica atual de que o uso de betaistina previna motion sickness em pessoas saudáveis. Além de efeitos colaterais possíveis de ocorrer com uso de betaistina são dores no estômago, dores de cabeça, naúseas e vômitos. Além dos efeitos colaterais, sabemos que o uso da betaistina é crônico, pois não trata uma crise aguda de vertigem; uma das suas indicações é para tratamento de vertigens devidas a distúrbios circulatórios do ouvido interno. Produz uma vasodilatação e aumento do fluxo sanguíneo, sendo usado no homem para diminuir a frequência e a severidade dos ataques de vertigem. 

Em resumo, não recomendo para uso de prevenção de motion sickness. Aqueles que sofrem de labiritopatias talvez possam se beneficiar do uso, mas melhor sempre checar com seu médico a dosagem e tempo de uso corretos.

Grávidas: 
Medicamentos antihistaminicos como meclizina e dimenidrato são considerados categoria B de risco para uso em gestantes segundo o FDA. Escopolamina e prometazina são considerados categoria C de risco. (Quando tiver um tempo, eu coloco um link sobre categorias de risco de medicamentos em gestantes.

 

Informações Adicionais

A maior parte do texto acima descrito é baseada no artigo mais atual do uptodate sobre Motion Sickeness.

Algumas informações adicionais podem ser relevantes. 

Para quem vai fazer um cruzeiro e tem muito temor em passar mal, principalmente se já souber que tem uma sensibilidade aumentada de sofrer de motion sickness, o uso de dramin pode ser útil. Conforme já descrito, o efeito de sedação, pode atrapalhar a viagem; dessa forma, tem que se tentar chegar em uma dose que previna, mais que não cause muita sonolência. Para aqueles que estão de férias antes da viagem, pode ser interessante começar a tomar o medicamento alguns dias prévios a viagem. Esse início antecipado não aumenta a eficácia do tratamento, porém ajuda a diminuir os efeitos sedativos durante a viagem, já que o uso prolongado do medicamento tende a gerar tolerância em relação a sedação. Em resumo o objetivo de iniciar antes é tolerar melhor o medicamento durante a viagem, mas nem sempre isso é a melhor opção e depende da situação de cada um.

Outro fator que devemos levar em consideração é que Motion Sickness, aparece quando se está parado. Dessa forma, uma maneira de evitar os sintomas é se movimentar, divertir, se distrair. Ouça músicas boas, dance, etc, evite leituras e telas.

Outro detalhe que não poderia ficar de fora e tomar o cuidado com a comida. Evitar pegar alguma infecção gastrointestinal com alimentos feitos com higiene duvidosa, gelos impróprios para consumo, entre outros cuidados nas refeições e lanches.

Evite excesso de bebidas alcoólicas, ou seja, se for beber, beba com moderação!

Algo básico, mas não menos importante, lavar bem as mãos, várias vezes ao dia, principalmente antes de comer e na impossibilidade de lavar as mãos, usar álcool gel.

Espero ter ajudado em algo e desejo uma boa viagem para quem está em programação.

 

#Atualizado em março de 2019

Anúncios

Deixe uma resposta