Anticoncepcionais Orais no Pré-Operatório

Os Anticoncepcionais Orais são estatisticamente a causa mais frequente de trombose venosa em mulheres jovens, devido ao seu amplo uso. O risco de trombose aumenta após 04 meses do início e retorna ao valor inicial 03 meses após a suspensão do medicamento. A cirurgia por si só já é um fator de risco para trombose venosa e esse risco se agrava com o uso de Anticoncepcional Oral Combinado.

Anticoncepcionais.JPG
Pílula anticoncepcional e o risco de trombose venosa na cirurgia

 

Os Anticoncepcionais Orais (ACO) contendo altos níveis de estrógeno (≥35 mcg) tem um maior risco de tromboembolismo do que os ACO com baixo nível (≤30 mcg). No entanto, mesmo as pílulas com menor teor de estrogênio estão associadas a um risco aumentado de trombose venosa.

Pulmonary tromboembolismo.JPG
Trombose venosa profunda (TVP) na perna pode levar a um tromboembolismo pulmonar, também conhecido como TEP

Continuar ou parar o anticoncepcional antes da cirurgia?

Já vou direto ao ponto e digo que essa não é uma questão simples. Deve ser avaliada individualmente e a decisão tomada em conjunto entre o médico e a paciente. Para um melhor entendimento, vamos detalhar.

O raciocínio em torno deste assunto envolve pesar os seguintes riscos:

Risk e Beneficio - Igual

 

– Aumento do risco de trombose venosa associado ao uso de ACO.

– Em contrapartida, o risco de uma gravidez indesejada (e complicações inerentes à mesma) em decorrência da suspensão do ACO.

 

Dessa forma, podemos separar algumas diferentes situações:

 

Situação 01: Paciente com baixo risco de TVP e cirurgia de baixo risco.

 

De maneira geral, nesta situação, o uptodate® recomenda a continuação do ACO e realizar uma adequada profilaxia de tromboembolismo venoso.

Situação 02: Paciente com alto risco de tromboembolismo venoso e cirurgia de alto risco

Risk and Beneficio na balança pedendo para risco

Neste caso, a descontinuação do ACO pode ser uma alternativa razoável, desde que conversado com a paciente. A mesma deve ser orientada quanto ao uso de métodos contraceptivos alternativos, bem como sentir-se segura e confortável com a suspensão da medicação. Sugere-se também realizar um teste de gravidez antes da cirurgia.

 

Situação 03: A mesma situação acima, porém paciente não apresenta condições que favoreçam a suspensão do ACO

 

Caso a paciente não possa ou prefira não usar métodos alternativos de prevenção de gravidez, continuar o ACO é apropriado. Nesta situação, todas as medidas de profilaxia de tromboembolismo durante o perioperatório devem ser adotadas rigorosamente.

 

Quanto tempo suspender o ACO antes da cirurgia?

 

Se for decidido pela suspensão, os anticoncepcionais devem ser descontinuados 04 semanas antes da cirurgia. As mulheres que suspenderam o ACO devem usar métodos contraceptivos alternativos eficazes, e realizar um teste de gravidez antes (próximo) da cirurgia.

Em resumo:

Médica dando a mão para paciente 02

 

Continuar ou suspender o anticoncepcional vai depender da avaliação do risco individual de tromboembolismo venoso, do tipo de cirurgia a ser realizado, aliado a uma boa comunicação com a paciente.

 

Sobre Dr. Rafael Otsuzi

www.cardiologia.ribeirao.br

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.