Causas de morte súbita em atletas jovens durante exercício físico

Uma cena forte rodou pelos noticiários desta semana. O jogador Eriksen, da seleção de futebol da Dinamarca, caiu desacordado durante uma partida da Eurocopa. Cenas que causaram angústia para quem estava presente no estádio ou assistiu ao vídeo pela internet mostraram que o jogador recebeu massagem cardíaca e um choque por desfibrilador. Depois foi levado para o hospital, onde encontra-se estável. Devido ao atendimento com desfibrilação, provavelmente fez uma arritmia cardíaca com morte súbita revertida.

No começo da minha profissão de médico, em 2008, acompanhei um caso semelhante, de jovem que teve uma morte súbita revertida durante exercício físico e que sobreviveu após receber 07 choques por desfibrilador. (Veja link no final do texto).

Conforme veremos nesse texto, a maioria das doenças que cursam com morte súbita em jovens podem ser diagnosticadas através de uma avaliação antes de atividade física de alta intensidade, com exames relativamente simples como eletrocardiograma, teste ergométrico e/ou ecocardiograma. Outras, possivelmente o caso desse jogador (ainda sem informações oficiais sobre a doença de base), podem exigir exames mais complexos, porém são exceções.

Quais as principais causas de morte súbita em atletas jovens durante exercício físico?

A maioria das causas cardiovasculares relacionadas a Morte Súbita Cardíaca em atletas jovens tem relação com a Cardiomiopatia Hipertrófica.

A Cardiomiopatia Hipertrófica que é uma doença que pode acometer 01 em cada 500 adultos, sendo considerada a principal causa de Morte Súbita no esforço físico em jovens com menos do que 35 anos. Mais de 90% dos portadores de Cardiomiopatia Hipertrófica tem alguma alteração eletrocardiográfica no ECG de repouso.

Segundo informações do Uptodate®, menos de 5% dos portadores de Cardiomiopatia Hipertrófica tem eletrocardiograma normal e o diagnóstico pode ser feito com boa acurácia através do ecocardiograma.

O Teste Ergométrico também pode detectar alterações relacionadas a gravidade da Cardiomiopatia Hipertrófica como arritmias, resposta deprimida da pressão arterial no esforço, entre outros.

Vemos na tabela abaixo que a anomalia de coronárias aparece como segunda causa mais frequente de morte súbita relacionada com exercício em atletas jovens.

Em um estudo com 06 milhões de recrutas militares nos Estados Unidos, com média de idade de 19 anos (17 a 35 anos) 86% das mortes súbitas foram relacionado ao exercício.

  • Origem anômala das coronárias correspondeu a 33%
  • Miocardite 20%
  • Doença Ateroscleróticas das Coronárias 16%
  • Cardiomiopatia Hipertrófica 13%

O Uptodate® também ressalta diferenças entre países, sendo que na Itália a Displasia Arritmogênica de Ventrículo Direito ou Cardiomiopatia Arritmogênica do Ventrículo Direito é uma das causas mais comuns de morte súbita relacionada ao esforço físico.

Outras causas de morte súbita durante o exercício são:

Síndrome do QT longo (possível de ser detectada por um eletrocardiograma)

Síndrome de Brugada (possível de ser suspeitada pela história familiar e por eletrocardiograma)

Taquicardia Ventricular Polimórfica Catecolaminérgica (não aparece no ECG de repouso, mas pode ser detectada em um Teste Ergométrico)

Intervalo QT curto (possível de ser detectada por um eletrocardiograma)

Síndrome da repolarização precoce (possível de ser detectada por eletrocardiograma).

Finalmente o Uptodate® cita investigações em que a Morte Súbita Cardíaca em jovens atletas que não tinham alterações cardíacas prévias, porém estavam usando hormônios anabolizantes para aumentar a performance cardíaca, e foram encontrados na autópsia achados de miocardite ou hipertrofia miocárdica.

Nos dias atuais não podemos deixar de citar a miocardite causada por infecção por Covid-19 como uma causa significativa de arritmias potencialmente fatais. (Veja link no final do texto para maiores detalhes).

Em uma visão geral de tudo que foi descrito acima, vimos que até mesmo um simples, rápido e barato exame de eletrocardiograma, pode ser muito importante em uma avaliação para exercício físico.

Dr. Rafael Vinicius Otsuzi 
Médico pela Universidade de São Paulo – Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto – USP  
Residência Médica: Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo – HC – FMRP USP  
Especialista em Cardiologia pela Associação Médica Brasileira (AMB)  
Título de Especialista em Cardiologia pela Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC)

Artigos relacionados:

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.